Saiba como evitar e o que fazer em caso de queda e fratura

  • 18 de outubro de 2016
Mulher correndo

O ortopedista Moisés Cohen e o socorrista Jorge Ribera explicam como socorrer em caso de fratura. A primeira providência, segundo os especialistas, é imobilizar o membro lesionado na posição em que ele está até que o diagnóstico final seja feito no hospital. Colocar uma tala, por exemplo, ajuda também a reduzir a dor, o inchaço e evitar que o machucado desenvolva para algo mais grave.

Se o paciente não conseguir se levantar depois de cair, o ideal é não movimentá-lo. Se ele estiver no meio da rua, por exemplo, é importante pedir para alguém colocar algum obstáculo para evitar que os carros continuem passando. Segundo o ortopedista, nunca se deve tentar colocar o osso na posição correta ou tentar movimentar o membro lesionado – nesse caso, é preciso primeiro ir imediatamente ao hospital.

Se, além da fratura, houver ferimento, a recomendação é limpá-lo com água corrente e cobri-lo com material limpo até a chegada do serviço de emergência. Em caso de sangramento abundante, os especialistas explicam que é preciso fazer uma compressão moderada na ferida para estancar o sangue. O mesmo vale para o sangramento no nariz, mas em caso de batida na cabeça, o socorrista Jorge Ribera aconselha procurar um médico o quanto antes porque essa lesão pode ter consequências mais graves, como uma hemorragia, por exemplo.

Fora a região da fratura, porém, a idade da pessoa também influencia na recuperação do osso. Crianças têm maior facilidade de refazer as estruturas por causa dos ossos elásticos e porosos e também porque estão em fase de crescimento, quando a capacidade do corpo de desenvolver é maior do que a do adulto. Já os idosos demoram mais para se recuperar porque, com o passar do tempo, a formação das células ósseas diminui.

No caso das crianças, como a recuperação é rápida, não há a necessidade de uma imobilização mais intensa ou demorada. Porém, é importante que o osso ganhe uma resistência maior para evitar que um novo trauma frature o mesmo lugar – por isso, a imobilização e a medicação ajudam principalmente no controle da dor para deixá-la mais confortável.

Se houver uma entorse de tornozelo, muitas vezes, é preciso imobilizá-lo com uma bota ortopédica durante três semanas. Já as fraturas, por outro lado, são imobilizadas com talas de gesso. Porém, no caso do gesso, é importante procurar um médico se houver dor intensa mesmo com o uso de analgésicos, inchaço nos dedos, palidez ou extremidades roxas nos dedos, dedos frios, formigamento ou alterações de sensibilidade ou dificuldade para movimentar os dedos.